DeMaria Softare
Softwares para cartórios

Registrador Civil – você é assim ?

Data de Publicação: 28 jan 2004


A importância da inserção de sua atividade em um contexto de modernidade é fator decisivo para sua sobrevivência.

Você tem hoje paciência para preencher os formulários do IBGE manualmente ? Se sim, está atrasado, perdendo tempo para outro afazeres não mecânicos mais importantes.

Rebate, um a um, na caprichosa máquina de escrever, várias vezes a qualificação dos nubentes em um processo de casamento ? Se sim, está atrasado, agora abusando da paciência do seu cliente.

Quando ele volta para pedir certidão você ainda precisa dos livros ? Se sim, está atrasado, maculando sua imagem, como a de um antigo escriba que não percebe as mudanças do presente.

Continua degladiando-se com os livros pesados para fazer uma busca ? Se sim, está atrasado, comprometendo sua saúde, aumentando as chances de gastar dinheiro com a conservação do acervo e atendendo mal.

Tem de rever os termos para enviar a relação para o cartório eleitoral e a junta do serviço militar ? Se sim, está atrasado, em total afronta ao esforço de um dos poucos países no mundo, talvez o único, que já informatizou todo o seu processo eleitoral.

Para a previdência social vai o formulário ? Se sim, você corre um risco sério de pesadas multas, pois de acordo com a Portaria MPAS 3.769/2001 desde a competência de dezembro de 2002 você já deveria estar enviando os dados em disquete ou pela internet.

Não sabe o que é isso ? Só ouviu falar de longe sobre e-mail, computador ou websites ? Se sim, está atrasado, deixando o bonde da modernidade passar, sendo um expectador distante de um novo mundo onde a eficiência é obrigação.

Tem preguiça de fazer as comunicações para aqueles colegas tão distantes ? Está ferindo o Código Civil.

Não sabe das importantes parcerias que o registrador civil do século XXI está preparado para fazer ? Então está alienado, sozinho numa praia deserta sem sol, na certeza de que uma andorinha só faz verão !

Não participa do seu sindicato, não dá opiniões nem sugestões ou tampouco faz críticas construtivas para o bem da sua classe ?

Fica bravo quando seu cliente faz muitas perguntas no balcão ?

Finge-se de morto quando tem muita gente para atender ?

Se isto tudo é verdade então se aposente, pegue o pijama e fique na frente da televisão apreciando todas as notícias preconceituosas e pejorativas sobre a “máfia dos cartórios”. Entre uma pipoca e outra saboreie o objetivo alcançado.

Deixe para o seu substituto a missão de enterrar este legado e transformar o cartório em uma serventia que aproveita a tecnologia em benefício da cidadania e do engrandecimento de uma profissão.

Agnaldo De Maria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.