DeMaria Softare
Softwares para cartórios

Uma opção para quem não pode pagar

Data de Publicação: 26 out 2002


Cerimônia comunitária regulariza situação de quem já mantém uma união estável



Celso Júnior/AE – 8/9/2002

Em Ermelino, 262 casais realizaram seu sonho em setembro

Mas nem todos tem condições financeiras para realizar a sonhada cerimônia de casamento. Pensando nos casais que já mantêm uma união estável, mas que não contam com dinheiro para formalizar a situação, a Secretaria Estadual de Justiça e Defesa da Cidadania, a Associação dos Registradores de Pessoas Naturais de São Paulo (Arpen) e a Associação dos Juízes e Suplentes de Juízes de Casamento do Estado de São Paulo (Ajusesp) organizaram um casamento comunitário em Ermelino Matarazzo, no começo de setembro.

A cerimônia teve o apoio do padre Antônio Luiz Marchioni, o padre Ticão, da Paróquia São Francisco de Assis. “Na periferia, geralmente, as pessoas não se casam”, diz, referindo-se à impossibilidade de alguns casais pagarem as taxas cobradas pelas igrejas e pelos cartórios.

“Nossa idéia é regularizar a situação deles para dar acesso a todo tipo de facilidade jurídica para os casais”, diz o secretário de Justiça, Alexandre de Moraes. A secretaria, que desde 1999 realiza os casamentos, está organizando duas novas cerimônias, uma na zona leste e outra na zona sul.

Como no casamento comunitário anterior, a Arpen isentará a taxa cobrada pelos cartórios e a Ajusesp pagará os impostos que incidem sobre ela.

Na região, o local onde será realizada a cerimônia ainda está sendo definido, mas já é certo que o evento ocorrerá em novembro. Nos dois eventos serão unidos legalmente 710 casais. (I.G.)

Fonte: Agência Estado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.